Design Thinking: como aplicar ao seu negócio

Design Thinking

“Pensar como um designer pode transformar a forma como você desenvolve produtos, serviços, processos – e mesmo estratégia”. – Tim Brown. Essa frase demonstra a importância do Design Thinking.

Um importante diferencial competitivo das empresas sempre foi a qualidade, mas atualmente este não é mais aceito pois a qualidade se tornou pré-requisito do mercado.

Dessa forma, apenas a tecnologia ou um bom desempenho não constituem mais uma vantagem. E atualmente, o essencial para sobrevivência das empresas é a inovação!

Assim, é necessário que o empreendedor se dedique a inovação como um novo e criativo modo de atender às necessidades do mercado, permitindo que a sua empresa permaneça competitiva.

Seguindo então essa tendência, novos caminhos para a inovação foram buscados e assim surgiu o Design Thinking, uma abordagem focada no ser humano, criatividade e colaboração de pensamentos e processos para criar soluções inovadoras para os negócios.

Mas o que realmente é Design Thinking?

Design Thinking é, de acordo com Charles Burnette, professor norte-americano e especialista no assunto, “um processo de pensamento crítico e criativo que permite organizar informações e ideias, tomar decisões, aprimorar situações e adquirir conhecimentos”.

Já Tim Brown (2008), um dos idealizadores desta abordagem, caracteriza o Design Thinking como:

“Uma disciplina que usa a sensibilidade e os métodos do designer para suprir as necessidades das pessoas com o que é tecnologicamente factível, e recorre ao que uma estratégia de negócios viável pode converter em valor para o cliente e oportunidade de mercado”.

Em outras palavras, o Design Thinking une a sensibilidade do design com métodos para atender às necessidades das pessoas.

Onde ele pode ser utilizado?

Diferente do que se imagina, o Design Thinking não é utilizado apenas por grandes corporações ou empresas de design. Ele pode ser aplicado em qualquer segmento de negócios e apoia tanto o lançamento de novos produtos ou serviços, quanto processos internos de inovação.

Portanto, novos negócios e pequenas empresas são muito beneficiados pela utilização do método, que identifica as melhores opções e torna as experiências mais eficazes, mas se adequa muito bem àqueles problemas que:

  • Não possuem definição clara;
  • Tem situações mutáveis;
  • Tem fortes impactos em necessidades humanas.

Etapas do Design Thinking

Empatia

Também conhecida como Imersão, essa etapa é a base de toda a abordagem e, portanto, é também uma das etapas mais importantes do Design Thinking.

Neste momento, é onde você se coloca no lugar do público-alvo, isto é, busca conhecer as características e necessidades das pessoas envolvidas no problema, de modo a entender questões como:

  • O que elas precisam?
  • Do que gostam?
  • E o que buscam?

Muitas ferramentas podem – e devem – ser utilizadas no processo, sendo a mais comum, o mapa de empatia. Traçá-lo pode não só ajudar a entender o perfil, mas informações mais aprofundadas do cliente como dores e dificuldades, expectativas, etc.

Quanto mais informações, mais fácil será obter uma solução mais adequada para aquele com o qual se quer criar conexão.

Definição

De acordo com as informações obtidas na fase anterior, é possível definir o problema principal a ser resolvido, bem como os secundários.

É importante dar atenção às dores do público-alvo neste momento para conseguir delimitar e entender com o que se está lidando e quais as prioridades para tal.

Entender o problema é um dos principais objetivos do Design Thinking para somente então, pensar na solução a partir da fase de Ideação.

Ideação

Ideação Design Thinking

Após entender os problemas a serem resolvidos e os motivos por trás de cada um deles, chegou o momento de enfim, buscar soluções.

Nessa etapa, utilizam-se ferramentas de criatividade como brainstorming para ideias e sugestões, sem filtros. O intuito é obter o máximo de insigths possíveis e para tal, algumas premissas do brainstorming são essenciais:

  • Não criticar as ideias;
  • Prezar por quantidade;
  • Incentivar ideias radicais;
  • Construir uma perspectiva diferente dos demais.

Prototipagem

O momento de colocar a mão na massa chegou!

Na fase de Prototipagem, colocam-se as ideias obtidas na fase de Ideação em prática.

Vale ressaltar que na abordagem DT, são realizadas pequenas experimentações para validar a ideia principal, isto é, na etapa de Prototipagem nunca teremos o produto final, mas sim um rascunho!

Teste

Após o término da fase anterior, os protótipos são colocados à prova. São realizadas validações rápidas e caso o protótipo não entregue o melhor resultado, o processo se reinicia até que a solução adequada seja encontrada.

Quais os benefícios do Design Thinking para seu negócio?

Que esse método traz vantagens para quem o pratica, não há dúvidas. Mas quais os principais benefícios em comparação aos métodos tradicionais de lidar com problemas?

Foco no problema

Quando, por exemplo, o empreendedor tem uma nova ideia, este imagina imediatamente o funcionamento do negócio.

Mas muitos negócios acabam fechando no primeiro ano então, pois os empreendedores focam na solução quando deviam focar no problema que desejam resolver, o que é praticado no Design Thinking.

Invés de pensar na solução, o foco está nas pessoas e nos desafios enfrentados.

Implementação completa x protótipos

Uma vez que o problema é identificado, outro erro muito comum é a implementação completa da “melhor” solução encontrada, que na maioria das vezes acaba não sendo a mais adequada.

Já como visto no Design Thinking, a ideia principal passa por experimentações, de modo que o produto final só será obtido após a validação dos protótipos e quando isto não ocorre, o ciclo do processo se reinicia até que a solução mais efetiva seja colocada em prática.

Economia de dinheiro e tempo

Complementando o item anterior, como a solução é criada e testada em “pequenas doses”, o empreendedor acaba economizando dinheiro pois caso o protótipo não seja totalmente aceito, este teve um pequeno custo se comparado com a realização de um projeto completo.

O mesmo ocorre para economia de tempo no DT, pois caso seja verificado algum erro durante a etapa de Testes, é possível modificar a solução e encontrar o caminho correto, evitando também que se perca o timing do mercado.

Interação efetiva entre empresa e cliente final

O contato entre empresa e cliente acaba sendo intensificado, principalmente pela preocupação em entender as dores do cliente para então, buscar uma solução para este.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.