Motivação da equipe: 3 táticas infalíveis para deixar sua equipe engajada!

tempo de leitura: 6 minutos

Busca tentar motivar sua equipe, mas ainda não encontrou as formas corretas para fazer isso? Busca ter uma equipe focada em trazer os resultados que precisam? Se a resposta for sim, você não pode deixar de ler essa matéria! Separamos 3 táticas infalíveis para você alcançar a motivação da sua equipe, abordando conceitos desde liderança até gestão e design thinking.

Equipe sentada ao redor de uma mesa

Qual a importância de ter uma equipe motivada e engajada?

Hoje em dia no mundo corporativo vemos cada vez mais empresas focadas em trazer “felicidade corporativa”. Tal conceito é usado para explicar como podemos trazer a felicidade para o trabalho. Esse novo conceito surge a fim de ver como o impacto de felicidade e motivação dos colaboradores trazem resultados melhores e mais ágeis.

Além disso, existe também o conceito de “Humanocracia” apresentado no livro “Humanocracia: Criando Organizações Tão Incríveis Quantos as Pessoas Que as Formam” escrito por Gary Hamel e Michele Zanini. Esse conceito trabalha em conjunto com a felicidade corporativa. Afinal, ambos buscam aumentar a eficiência pelo lado “humano” dos colaboradores.

Mas agora, como eu como Líder posso fazer isso? Existem práticas ou posturas que posso ter para que a motivação da minha equipe aumente? Esse é o objetivo desse artigo. Trazer para você diferentes formas de levar isso para sua equipe.

Durante a leitura vamos abordar duas vertentes do engajamento da equipe: a liderança e a gestão. Ambas têm papel importante em criar uma equipe ágil e engajada. Além disso, ambas precisam ser usadas juntas para realmente terem efeitos positivos. As primeiras 2 táticas abordarão a vertente liderança e as demais a vertente gestão.

1. Procure ser a liderança que você gostaria de ter

Para os que leram o livro Monge e o Executivo a analogia será clara, e para os que não leram fica a recomendação de leitura. O livro aborda a essência da liderança e como podemos ser a melhor liderança possível. Durante a leitura o personagem “mentor” pede para que todos escrevam quais características mais admiram em uma liderança. Como resultado, muitos escrevem as mesmas coisas.

Mas por que isso? Porque nós como membros de uma equipe temos necessidades parecidas. Todos buscamos respeito, apoio e alguma forma de liberdade ou confiança. Dessa forma, para termos uma alta motivação da equipe que lideramos precisamos trabalhar o nosso autoconhecimento. Além disso, condizer com a versão de liderança que nos faria trabalhar de forma ágil, engajada e buscando inovações.

Com isso, entendendo o que está fazendo de condizente e não condizente, tire um tempo para refletir. Dessa forma, veja o que pode mudar como liderança para ser a melhor versão de si para sua equipe. 

Equipe com as mãos juntas ao meio
2. Descubra o que motiva cada membro

Nessa tática, vamos abordar o conceito de motivação e o conceito de Moving Motivators. A motivação que conhecemos no mundo corporativo é “uma energia que aciona e direciona o comportamento”. Nesse caso, pensando em termos uma equipe motivada, queremos gerar a maior quantidade de energia. Afinal, o comportamento deve ser contínuo e direcionado para as metas da empresa.

Hoje em dia as empresas buscam formas de fomentar a motivação dos colaboradores. Seja com atividades complementares como “Happy Hours” ou com benefícios corporativos voltados ao bem-estar. Porém, podemos abordar essa questão de modo muito mais objetivo e direcionado para nossas próprias equipes. Para isso, podemos usar 1.1’s mensais e a ferramenta “Moving Motivators.”.

2.1 1.1’s mensais

Primeiro, o que são 1.1’s mensais? Eles são pontos de contato entre você e seu colaborador no qual são feitas perguntas estratégicas. Com isso, é possível entender melhor sobre como está sendo a vivência dele. Além disso, busca oferecer um sistema de suporte para as atividades que executam.

Segue abaixo uma lista de perguntas que podemos fazer nos 1.1’s:

  • Como foi o trabalho no último mês?                                                                 
  • O que deu certo?                                                               
  • O que deu errado?                                                            
  • Como estão seus OKRs/metas?                                                              
  • O que você pretende trabalhar nesse mês?                                                                 
  • 2 ou 3 maiores prioridades do mês
  • Teve algum momento que você se sentiu desconfortável?                                       
  • Existe alguma habilidade que você ainda queira desenvolver? Como posso te ajudar a desenvolvê-la?
2.2 Moving Motivators

Além disso, como comentado, temos também o Moving Motivators. Desenvolvido pelo fundador da Management 3.0, Jurgen Appelo, o Moving Motivators é um exercício que nos ajuda a refletir sobre a motivação de cada membro. Dessa forma, é possível ver como isso pode variar de pessoa para pessoa e, assim, conquistar a motivação de equipe.

As 10 categorias de motivadores para motivação são: maestria, aceitação, curiosidade, honra, propósito, independência, ordem, poder, relacionamento e status. Desse modo, o exercício consiste em pedir para seu membro listar, entre eles, qual é o mais importante para ele até o menos.

Com isso, podemos analisar o que mais importa para nossos liderados. Assim, o próximo passo é procurar trazer atividades que apresentem esses motivadores ao longo da jornada deles na nossa equipe.

Um exemplo, seria o motivador curiosidade, que diz “Eu tenho muitas coisas para investigar e pensar”. Quando vemos que esse motivador é o que mais importa para nossos membros podemos trazer mais desafios e dados. Desse jeito, tal motivador é instigado e traz um sentimento de conquista para eles.

3. Clareza dos objetivos e metas

Todas as empresas têm metas e objetivos. Entre eles podemos ter metas macros que são as que correspondem ao objetivo da empresa como um todo. Além disso, existem as metas micros, as quais correspondem a áreas, projetos ou equipes.

Portanto, quando lideramos uma equipe precisamos ter consciência de quais metas queremos atingir e desenvolver algum método de facilitar essas metas para nossos liderados. Seja com frameworks, OKR’s ou Must Win Battles, ou com lembretes contínuos dos objetivos, tanto em reuniões quanto em outras formas de comunicações.

Para contextualizar ainda mais, Geoffery James propôs os 10 mandamentos da liderança, algumas regras para seguir para ser um bom líder. De acordo com Geoffery, o segundo mandamento seria a definição de um rumo claro para a equipe. Em seguida, guiar eles para onde deseja. Por isso, existe uma forma eficiente de guiar a equipe: OKR’s. 

OKR  é a sigla para “Objectives and Key Results”, metodologia de gestão utilizada para a simplificação dos objetivos principais da empresa. Esta metodologia pode ser subdividida em duas partes principais: Objetivos e Resultados-chave.

A metodologia “Objectives and Key Results” diferencia-se das demais, já que prioriza o acompanhamento periódico dos indicadores. Com isso, é possível antecipar adversidades. As OKRs, geralmente, são atualizadas a cada 3 meses podendo mudar ou não os objetivos. Mas sempre mudando os resultados-chave. 

O objetivo é a definição clara do que a empresa deseja conquistar. Exerce a função de não somente deixar o objetivo o mais explícito possível, mas também de manter a motivação de equipe alta para alcançá-lo.

Os KR’s são metas quantitativas que impactam diretamente na conquista do objetivo estabelecido. De 2 a 4 resultados-chave para cada um dos objetivos definidos. Atenção: não ultrapassar o número de resultados-chave para dar ênfase nas variáveis que possuem maior impacto em relação ao objetivo.

Mesa de escritório com pessoas e computadores

Como podemos usar elas na prática?

Imagine que sua equipe tem uma meta de superar as vendas do trimestre anterior e esse objetivo é extremamente desafiador para a realidade atual da área. Por isso, precisa conseguir a motivação da equipe.

Mas como tornar essa grande meta tangível para todos? Como fazer com que todos sintam-se “donos” da meta também? A dica que oferecemos é usar os OKR’s para aproximar os membros do objetivo final.

Planeje uma imersão para unir todos os membros da equipe e em conjunto escolherem qual objetivo terão no próximo período. Bem como quais resultados chaves precisarão alcançar. Por fim, quais planos de ação precisarão criar para atingir os KR’s e consequentemente o objetivo final.

A ideia dessa imersão é criar um sentimento de clareza e capacidade de impactar o resultado final, seja como Líder ou como liderado. Dessa forma, a motivação da equipe aumentará de acordo com a realidade de sua empresa.

VOCÊ CHEGOU AO FINAL

Se você leu esse artigo até aqui, saiba que já está fazendo um dos mais importantes passos para os líderes: ir atrás de melhoria! Além dos textos citados durante o artigo, deixo a sugestão para que você leia o ebook da Qulture.Rocks: OKR – Da Missão às Métricas, escrito pelo Francisco Homem de Mello, fundador da empresa!

Espero ter ajudado, e pode contar com a Líder Jr. para alavancar e sustentar o seu negócio.

Leia mais para saber mais sobre uso de OKR’s: https://liderjr.com/blog/planejamento-estrategico-no-pos-crise/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.