O estudo de viabilidade financeira de projetos

Mulher com uma calculadora sendo responsável por uma relação ilustrativa para a viabilidade financeira de projetos

O que é a Viabilidade Financeira de Projetos e qual a sua importância? 

De início, deve-se entender o que é a viabilidade financeira de projetos. Ela é, no geral, um dado para medir o quanto de capital será gasto. E também, o quanto vai retornar para a empresa (despesas e lucros), ou seja, se o investimento é viável, financeiramente e temporalmente. Toda tomada de decisão dentro de uma empresa, deve ser algo pensado e minunciosamente calculado para que nada fuja do controle. Com a viabilidade financeira em prática, pode-se prever com mais precisão o futuro de uma empresa, assim diminuindo os riscos de se fazer um novo investimento, já que é estimado o capital necessário, as receitas, as despesas, o rendimento e até o desembolso.

 Alguns exemplos de momentos em que é essencial uma análise de viabilidade financeira de projetos, é quando se vai abrir uma nova empresa, expandir o seu negócio atual, investir em novos equipamentos, comprar ações, criar novas sedes, entre outros.

Como calcular a Viabilidade Financeira de Projetos

Mas como calculamos esse dado tão importante? O cálculo gira em torno da coleta de alguns outros dados, que vão depender muito do investimento desejado e das particularidades da empresa. Em geral, os passos que serão tomados são: 

1. Pesquisa e Análise do Mercado

Antes de analisar se o investimento vai gerar retorno para o investidor, deve-se entender o mercado em que se está inserido, então estudar temas como os picos de sazonalidade do setor, economia e segmentação de atuação. Com o entendimento desses tópicos, já se torna possível projetar de forma coerente as receitas, assim começando a análise de viabilidade de projetos de forma correta.

2. Fluxo de Caixa Projetado

Feita a análise do mercado, passa-se agora para a etapa de projetar-se o fluxo de caixa, que é essencial para mapear todas as saídas e entradas do caixa, em um determinado período te tempo, presente na empresa. Para o fluxo de caixa funcionar de maneira eficiente e correta, o projeto deve receber mais do que gastar, por isso que durante a análise de viabilidade de um projeto, é feita essa diferença para entender se é viável ou não o executar. No final, projeta-se diferentes cenários para que a análise seja a mais próxima da realidade possível, sendo eles: otimista, pessimista e neutro.

Uma pessoa mexendo no computador com um gráfico mostrando a viabilidade financeira de projetos (imagem meramente ilustrativa)

Além dos cálculos das entradas do caixa, existe também as saídas. Para o cálculo delas, deve levar em consideração:

a. Custos Fixos

Os custos fixos são aqueles que podem ser facilmente previstos, visto que, geralmente, ocorrem de maneira muito similar em todos os meses. Por exemplo: aluguel, telefone, salários, etc.

b. Custos Variáveis

Dessa vez serão calculados os custos varáveis, que ao contrário dos fixos, eles não possuem tanta constância de um mês para o outro.

c. Impostos

Geralmente já se sabe os impostos a serem pagos antes de se fazer o investimento desejado, mas caso não seja esse o caso, é recomendável que se entre em contato com um contador para se alinhar os possíveis impostos.

3. Análise de Indicadores

Após a realização da análise de mercado e o fluxo de caixa, segue-se para a última etapa no cálculo da viabilidade financeira de projetos, que é a análise dos indicadores. Então para que o projeto desejado apresente retorno, deve ser feito a análise, principalmente, dos seguintes indicadores:

Uma calculadora com dinheiro relacionando com a viabilidade financeira de projetos (imagem meramente ilustrativa)

a. Taxa Interna de Retorno (TIR)

A TIR mostra a rentabilidade, em forma de porcentagem, e, com base nas projeções financeiras, ele indica qual será a renda. Sendo assim, quando maior for o TIR, melhor são as previsões financeiras do projeto;

b. Taxa Mínima de Atratividade (TMA)

A TMA é o que representa o valor do retorno mínimo esperado em relação ao caixa, com base no investimento feito. Além disso, é nele em que estão os prováveis riscos de cada segmento em que a empresa está inserida. Após análise do TMA e do TIR, o último deve ser maior que o TMA, para que a viabilidade seja positiva;

c. Valor Presente Líquido (VPL)

O VPL é a diferença entre o valor investido e o resgatado no final do período desejado. Portanto, ele representa o fluxo de caixa e os desconta com a TMA, até o dia que se vai investir;

d. Break-even

O Break-even é quando o retorno obtido pela empresa é maior que o valor que foi investido, assim, ele é o dinheiro que vai ser recebido para que o investimento seja sustentado;

e. Exposição Máxima de Caixa

A exposição máxima de caixa é o cálculo de quanto dinheiro será necessário para sustentar uma empresa durante o começo de sua existência, até que ela consiga gerar lucro. Assim, é com esse dado que o investidor saberá os investimentos iniciais necessários, guiando-o para saber se existe viabilidade financeira de projeto;

f. Payback

O Payback indica quanto tempo será necessário para o projeto passe a retornar capital e pague os investimentos. Podendo ser resumido em uma fórmula: Investimento Inicial / Economia Obtida.

Conclusão

Agora que entendemos completamente sobre o que é o estudo da viabilidade financeira de projetos e como calcula-lo, vemos a sua importancia na hora de realizar um investimento em sua empresa, seja ampliar a área de atuação da empresa, lançar um novo produto, comprar um novo equipamento, entre outros. Retomando, é com esse estudo que podemos ter mais coerência na hora de decisão, visto que vamos ter mais certeza de seus riscos e benefícios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.