Como organizar e reduzir os custos da minha empresa?

Reduzir custos
Organizar e reduzir custos
Tempo de leitura: 2 minutos

Todo e qualquer negócio possui custos e como diminuí-los nos processos produtivos é questão frequente de discussões em reuniões e balanços nas empresas. Portanto veja aqui algumas práticas para reduzir os custos nas empresas.

Mas por que essa fixação em diminuir custos? Historicamente, a redução de custos é a forma mais utilizada para aumentar o lucro das empresas e para que você fique no controle. Longe de ser a única maneira para tal, mas é a mais divulgada.

Vejamos o exemplo de Henry Ford, fundador da Ford Motor Company. Ele instaurou toda uma remodelagem de processos nas fábricas, alterando, sobretudo, o posicionamento das máquinas.

Quem não conhece a história das famosas linhas de montagem da Ford? Que aumentaram (de maneira questionável, é verdade) exponencialmente a produtividade dos operários, reduzindo em muito as despesas para a produção do Ford T, por exemplo.

Leia também sobre como precificar corretamente os produtos da sua empresa

Veja um pouquinho sobre essa revolução no vídeo abaixo:

Fordismo

Ainda aproveitando do exemplo do Ford, muitas vezes a busca indiscriminada pela redução de custo acarreta diminuição da qualidade, alto nível de refugo na produção, etc. Então, fique atento e esteja você no controle da situação!

Mas isso não é uma regra, e agora nós vamos mostrar alternativas de como diminuir seus custos sem perder a qualidade dos seus processos produtivos!

1. Mapeie seus custos

Existem 4 tipos básicos de custos:

  • Custos diretos: são aqueles diretamente relacionados à atividade-fim da empresa. Ainda mais, podemos afirmar que o custo direto é aquele que é incluído diretamente no cálculo do valor do produto oferecido.

Exemplos: matéria-prima, mão de obra direta.

  • Custos indiretos: intuitivamente, os custos indiretos são aqueles que não conseguem ser diretamente relacionados ao produto/serviço.

Outrossim, os custos enquadrados nesta categoria não podem ser relacionados a produtos específicos, existindo a necessidade de que sejam estabelecidos critérios de rateio para serem devidamente alocados no valor do produto.

Exemplos:mão de obra indireta, aluguel, seguros, depreciação.

  • Custos fixos: custos fixos são aqueles que não sofrem alteração de valor em caso de aumento ou diminuição da produção. Independem, portanto, do nível de atividade, conhecidos também como custo de estrutura.

Exemplos:despesas com contador e advogados, impostos, encargos sociais, materiais de limpeza, materiais de escritório.

  • Custos variáveis: são aqueles que variam proporcionalmente de acordo com o nível de produção ou atividades. Assim, seus valores dependem diretamente do volume produzido ou volume de vendas efetivado num determinado período.

Exemplos: custo de materiais, suprimentos e salários da equipe de trabalho.

2. Como ratear os custos indiretos?

Os custos que não conseguem ser facilmente associados com os produtos precisam, de alguma forma, se relacionar com a atividade-fim da empresa. E é isso que o rateio faz!

  • Rateio: Rateio de Custos é uma divisão proporcional de custos na execução de projetos ou serviços, e suas demandas. Ou seja, é uma estratégia que dispõe que a empresa conheça de forma mais precisa seus gastos e se com eles é possível continuar operando.

Existem diversas formas para realizar o rateio (ou Custeio) dos custos. Nesse sentido, as mais conhecidas são:

  • Custeio variável (ou custeio direto);
  • Por absorção;
  • Custeio ABC.

Portanto, para entender mais sobre cada um, leia Organização financeira: o segredo para manter sua empresa funcionando.

Ademais, agora que você sabe organizar os custos dos processos produtivos da sua empresa, você consegue analisar de forma mais crítica a DRE da sua empresa. Mas, caso você ainda não possua uma, o Conta Azul oferece um modelo gratuito!

3. Analise o que mais chamar atenção

É normal que, durante o registro dos dados, algo desperte uma curiosidade em você. Um valor muito alto, algo repetitivo periodicamente, gastos supérfluos, entre outras coisas. Por isso, o custeio mostra-se essencial entre as praticas para reduzir os custos nas empresas!

Por isso, a organização dos dados é tão importante! Além disso, por vezes, no dia a dia, entramos no automático e continuamos comprando com o mesmo fornecedor de sempre ou deixamos as mesmas comissões de sempre para os vendedores.

Logo, ao colocarmos tudo na ponta do lápis, conseguimos ter mais noção de onde atacar para diminuir nossos custos e, consequentemente, aumentar os lucros da empresa com você no controle de todos os custos.

Dessa forma, se você está com altos custos fixo ou indiretos, então, reveja as necessidades de manter tudo isso para o funcionamento do negócio.

Caso sejam os custos variáveis ou os diretos os que chamarem a atenção, podemos traçar mais plano de ação e até melhorar a sua estruturação comercial, como rever os fornecedores ou repensar o preço de venda.

4. Tomar planos de ação

Cada empresa possui suas particularidades, então levantamos alguns pontos que podem ajudar seu negócio a diminuir as despezas!

  • Otimize os processos: muitas vezes nós perdemos tempo e dinheiro com atividade burocráticas, então reflita sobre uma otimização de processos. Por vezes, uma simples Auditoria 5S resolve seu problema organizando o espaço!
  • Reveja metas e demanda: uma organização precisa de crescimento estruturado, então esteja atento sobre suas metas. Assim, se você não tem metas definidas, veja a necessidade de se ter um planejamento estratégico).
  • Envolva a sua equipe: de nada adianta você estar sedento para diminuir os custos da sua empresa se as pessoas que botam a mão na massa não estão alinhadas com esse propósito. Então, converse com o seu time!
  • Renegocie com fornecedores: como dito anteriormente, o comodismo em relação aos fornecedores pode ser fatal. Então, esteja atento aos preços que você está pagando e se atente à necessidade de fazer uma análise de mercado para fornecedores.
  • Conheça o seu estoque: se você é uma empresa que trabalha com estoque, saiba que ter um grande estoque é ter dinheiro parado! Logo, tenha ciência da sua demanda e controle seu estoque.

Diante disso, esperamos que aplicando essas dicas na sua empresa você consiga reduzir seus custos e alavancar seus resultados! E, qualquer coisa, não hesite em nos contatar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.