Planejamento financeiro: como criar um do zero?

O que é um planejamento financeiro?

Primeiramente, é possível separar a expressão “planejamento financeiro” de acordo com as suas palavras para um melhor entendimento do tópico. Assim, “planejamento” têm como significado criar um plano para otimizar o alcance de um determinado objetivo e “financeiro” está relacionado as finanças, ou seja, o dinheiro tanto pessoal quanto de um estabelecimento.

Por isso, um planejamento financeiro nada mais é do que uma organização pessoal das finanças visando uma maior previsibilidade do fluxo de caixa nas próximas semanas/meses/anos, diminuindo assim os possíveis problemas que podem surgir com gastos excessivos e falta de dinheiro no final do mês.

Conheça nossos serviços financeiros para organizar sua empresa!


Por que o planejamento financeiro é necessário?

imagem de moedas e notas de papel

Como dito antes, o Planejamento Financeiro permite uma maior previsibilidade do fluxo de caixa tanto pessoal quanto de uma empresa, então realizar um planejamento financeiro permite que as finanças atuem em grandes investimentos futuros, mas também para manter o verde ao final de cada mês.

Na visão de Ross, Westerfield, Jordan (1995, p.522): “O planejamento financeiro determina as diretrizes de mudança numa empresa. É necessário porque (1) faz com que se estabeleça as metas da empresa para motivar a organização e gerar marcos de referência para a avaliação de desempenho, (2) as decisões de investimento e financiamento da empresa não são independentes, assim é necessário identificar sua interação, e (3) num mundo incerto a empresa deve esperar mudanças de condições, bem como surpresas.”

Como criar um planejamento financeiro do zero?

Registro dos custos

O primeiro e mais importante passo para criar um planejamento financeiro é ter um registro adequado dos gastos em uma planilha online bem organizada. A maneira mais adequada de fazer isso é separando os custos fixos e os custos variáveis, os custos fixos são aqueles que possuem os mesmos valores todos os meses, alguns exemplos são: aluguel, condomínio e internet, por outro lado, os custos variáveis são aqueles que não possuem o mesmo valor todos os meses, dependendo assim da quantidade de uso ou produtividade, outros exemplos são: energia elétrica, água, comissão de vendas, matéria prima e custos com logística e entrega.

Registro da receita

Depois de calcular os custos do ano e separá-los em fixos e variáveis, é hora de estimar a receita da empresa no ano, separando mês a mês, o faturamento, caso seja um planejamento pessoal utilizar o salário, incluindo férias, décimo terceiro, eventuais bônus, rendas de aluguel e quaisquer recursos previstos.

banner de material grátis
Acompanhamento

Agora, após o levantamento dos custos e o levantamento da receita, é necessário fazer um acompanhamento semanal ou mensal das entradas e saídas do caixa e comparar com as estimativas que foram feitas no começo do planejamento, caso o real esteja muito destoante do planejado, é necessário sentar e repensar tudo o que foi feito até agora, ajustando as diferenças e melhorando as previsões para os próximos meses.

Reserva de emergência

Caso esteja nos planos da empresa um grande investimento para o futuro, é importante adicionar esse tópico no planejamento financeiro e separar uma certa quantia por mês para chegar a esse valor desejado. Além disso, é necessário estabelecer uma reserva de emergência para não sofrer com grandes oscilações de gastos que podem acontecer e, como o próprio nome já diz, conseguir sobressair a possíveis emergências que ocasionalmente podem acontecer, a quantidade ideal para ter uma segurança total em uma reserva de emergência é o equivalente a seis meses de faturamento/salário.

Análises

Assim, após a determinação dos custos, das receitas e da reserva de emergência, é possível ter uma visão panorâmica da situação da sua empresa e onde existem gastos excessivos que podem ser cortados sem danos significativos.

Somado a isso, é possível evitar problemas de sazonalidade nos negócios, uma boa organização da receita irá mostrar os meses em que as vendas não são tão boas comparadas aos outros meses, mas também indicará aqueles meses que se sobressaem em comparação aos outros, por isso é possível utilizar desses meses muito positivos para não sofrer com as épocas no vermelho.

Planejamento Estratégico

Por último, com um Planejamento Estratégico financeiro de um ano completo é possível entender como estão as finanças da empresa como um todo e traçar metas para os próximos anos, a comparação entre os anos gera uma motivação a mais para melhoras as finanças da empresa e faz com que não surjam gastos desnecessários a mais.

Além disso, traçar metas ajuda para um maior alinhamento da empresa como um todo, principalmente em relação aos funcionários, que saberão o que é esperado de cada um deles e onde devem chegar como grupo, fazendo assim com que a empresa encontre uma maior estabilidade durante os meses e forme uma equipe mais sólida e alinhada.

imagem de um cofrinho de dinheiro

Ficou interessado em saber mais? Fale agora mesmo com um de nossos consultores, e a Líder Jr. te mostrará como facilitar e melhorar o controle e a organização financeira do seu negócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.