Organização financeira: o segredo para manter sua empresa

Organização financeira
Por que é importante ter organização financeira?

Da mesma forma que o corpo humano, uma empresa é formada por um conjunto de fatores, organizados de forma a garantir o seu funcionamento. E um funcionamento correto garante a saúde da organização financeira e consequentemente, da organização como um todo.

Assim, a organização financeira garante que uma empresa atinja seus objetivos, ao mesmo tempo que tenha controle de seus custos e lucros, dívidas e contas a receber. É a chamada saúde financeira!

Portanto, vamos mostrar algumas praticas para reduzir os custos nas empresas!

Deseja melhorar a saúde financeira da sua empresa? Entre em contato conosco!

Entretanto, vemos a importância da gestão financeira não somente em momentos oportunos, como em momentos de crise.

Os perigos da má organização financeira

Assim, um desequilíbrio na saúde financeira que se perdure por longos períodos de tempo pode ocasionar problemas como: endividamento da empresa, falta de liquidez do capital e redução na margem de lucro.

Portanto, faz-se necessário garantir um controle minucioso dos custos envolvidos na produção ou nos serviços prestados, possibilitando o planejamento e controle da área financeira com boas praticas para reduzir os custos nas empresas.

Nesse contexto, uma das ferramentas utilizadas na gestão financeira é o custeio.

Custeio: o controle que a sua empresa precisa

Assim, o custeio é uma forma de facilitar o controle dos custos, aumentando, como consequência, o controle dos lucros. Portanto, existem três tipos de custeio, cada um com seus aspectos.

Dessa forma, é tarefa do empresário analisá-los e escolher o que mais se adapta, dadas as características da empresa.

  • Custeio variável (ou custeio direto): esse é um dos métodos mais utilizados, e considera os custos de produção como sendo os custos variáveis, diretos e indiretos. Nesse custeio, os custos fixos são considerados despesas;
  • Custeio por Absorção: esse modelo considera os custos fixos no custo final de cada produto, separando-os de acordo com algumas características – como horas necessárias para produção, mão de obra, área da fábrica, etc. Dependendo de cada característica, uma porcentagem do custo é absorvida por cada produto;
  • Custeio ABC: nesse tipo de custeio, o preço de cada produto é determinado pelo conjunto de ações executadas nele. Logo,esse modelo é um dos mais precisos na medição de despesas e custos indiretos.

Agora que você já entendeu um pouco de cada modelo, é necessário colocar em prática, e descobrir qual dos tipos de custeio se adapta melhor à sua empresa como uma das praticas para reduzir os custos nas empresas.

O custeio é a base para evitar a falta de gestão financeira e o segredo para garantir o crescimento da sua empresa!

Leia mais sobre em Custeio: saiba como precificar corretamente os produtos da sua empresa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.